Nomes e sobrenomes russos: entenda como funciona o sistema deles

Recebi esses dias um e-mail com uma pergunta básica: como são formados e usados os nomes e sobrenomes russos? Todo mundo sempre faz piada com os ‘ichs’ e ‘ovs’ do povo de lá, mas esse é um assunto pra lá de sério. Eu acho que nunca tinha falado disso por aqui. Confesso que era mais um desleixo meu, já que sempre assumi que o povo que me lê já tem algum conhecimento sobre Rússia. Também tem o fato de que acho que tem um monte de blog especializado em ensinar noções de russo e cultura russa por aí. Apesar de eu ser formado em russo e poder dar aulas, poucas vezes o fiz. Mas vou falar, rapidinho, dos nomes aqui.

Bom, tudo é, na verdade, muito simples. Os nomes russos são formados por имя / отчество / фамилия (Imiya / otchestvo / familiya, ou nome / patronímico / família). Por exemplo, Петр Петрович Петров, Petr Petrovich Petrov.

Petr é o nome. Geralmente, os russos têm nomes da Bíblia, de origem latina, hebraica ou grega. São uns 10 ou 15 ‘favoritos’ masculinos e outros 10 femininos: os famosos Pavel, Alexei, Alexander, Oleg, Petr, Vladimir, Dmitrii e afins, além de Natalya, Darya, Yulia, Alexandra, Olga, Anna, Maria, Anastasya… Mas há também alguns escandinavos, alemães e, mais agora, nomes modernos, como franceses, ingleses, italianos e até, sei lá, marcianos…

Petrovich é o patronínico, formado pelo nome do pai + sufixos ‘ich’, ‘vich’ ou ‘evich’, para masculino, e ‘ovna’, ‘evna’ ou ‘ichna’, para feminino. Logo, significa Petr, filho de Petr. Se for, por exemplo, Olga Yurievna, é Olga, filha de Yuri, e assim vai. Isso vale, invariavalmente, para todas as línguas eslavas. TODOS têm o patronímico.

Petrov é a família, algo como um ‘clã’. Via de regra, sobrenomes russos terminam em ov, ev, öv, in, ih, yh, para masculino, ou ova, eva, öva, ina, ih, yh, para feminino. Há ainda enko, chenko, uk, chuk, in, kin, que aí já são de outra origem étnica, que pode ser de poloneses, tártaros, ucranianos, alemães, suecos, se investigarmos a árvore genealógica. Então, ‘Petrov’ quer dizer ‘do clã de Petr’. Mas pode ser ‘Ivanov’, do clã de Ivan, ‘Gorbatchev’, do clã dos Gorbri (corcundas), Volkov, dos lobos, Serov, dos cinzas, e por aí vai…

E tem também os apelidos, a sokraschenie, como Natasha (Nataliyazinha), Masha (Mariazinha), Ksyusha (Oksaninha), Nastya (Anastacinha), Dasha (Dariazinha), Seryozha (Sergeizinho), Pasha (Pavelzinho), Sasha (Alexandrezinho ou Alexandrinha), Sonya (Sofiazinha), Alyosha (Alexeizinho), Vova (Vladimirzinho, Dima (Dmitrinho)… Mas isso é só para muito amigos. E os ‘inhos’ são por minha conta, só para contextualizar. Lembro que os nomes acima têm outras dezenas de apelidos. Outros nomes, porém, não tem apelidos ‘oficiais’. Makar, Marina. Tem um debate muito legal sobre isso nesse fórum aqui (em russo).

Por fim, a combinação nome + patronímico DEVE ser usada sempre quando não conhecemos a pessoa. Jamais devemos nos dirigir a um desconhecido, formalmente, somente pelo nome. Muito menos pelo apelido! Daí a importância do patronímico.

É basicamente isso. Tem explicações genealógico-gramaticais mais profundas, mas sabendo disso, a gente não passa mais vergonha. E eu já posso dizer que o ‘Falando Russo’ ensinou alguma coisa legal para alguém. E obrigado para a leitora Alessandra, que perguntou por e-mail e deu esse clique na minha cuca.

email
Related Posts with Thumbnails
http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/stumbleupon_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/delicious_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/technorati_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/google_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/myspace_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/facebook_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/yahoobuzz_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/twitter_48.png


30 respostas para “Nomes e sobrenomes russos: entenda como funciona o sistema deles”

  1. Luiz disse:

    Amigo voce ja viu a ótima noticia hoje nos jornais? Isso é uma noticia boa tanto pra russia como pro brasil.Abraço
    http://oglobo.globo.com/economia/russia-passa-integrar-omc-hoje-3450865

    • Boas Luiz,
      Falei indiretamente disso em uma série de posts, inclusive explicando uma grande manobra feita pela Rússia pra entrar na OMC, que foi chantagear a Geórgia. E não sei se é bom para o Brasil. O mercado é muito complexo e depende de muitas variáveis. E todas elas passam pela mentalidade de ambas as partes.
      Mas valeu pelo toque, estamos de olho.

  2. Luiz disse:

    Não foi nada, abraço e não deixe de postar no blog hahaha falou.

  3. Caio disse:

    Olá, Fabrício. Tenho acompanhado o blogue há um bom tempo e tenho que agradecer por tudo que leio aqui. Pra mim que tenho tentado me situar na cultura russa têm sido leituras muito boas. Nunca cheguei a comentar, mas desse vez tive que aproveitar a deixa da postagem pra tirar uma dúvida com relação ao patronímico. Quando um camarada russo tem um pai de outra origem, digamos um brasileiro, como fica o отчество?

    Abraços.

    • Boas Caio,
      Obrigado pela visita e pelos elogios, espero que você continue aparecendo!
      Então, quando é um estrangeiro, o otchestvo só fica mais estranho. Vai ser o nome do pai de qualquer forma. Seu filho com a Natasha vai se chamar Oleg Caiovich (família da sua esposa) (sua família). Ter duas famílias é muito mais estranho do que ter um otchestvo estrangeiro. Mas é melhor consultar com a Natasha (ou Olga, qual seja a graça de sua senhora…) se não vira um palavrão em russo… :D
      Dizem que, hoje em dia, não é mais obrigatório ter otchestvo. Mas, se seu filho for morar lá, sem otchestvo, é impossível ser alguém, como professor, ou algo do tipo. É bem importante mesmo, para eles.
      Abraços!
      Fab

  4. Caio disse:

    Hum, entendo. Curioso isso… Ao passo que no Brasil essa questão de nomes/sobrenomes é tão menosprezada, não há tanto rigor, lá parece ser algo fundamental mesmo. Mas só mais uma coisa: já que dois sobrenomes é tão estranho, qual seria o sobrenome que prevaleceria, o meu ou o da minha tão hipotética esposa, rs?

    • Boas, Caio, tudo bem?
      É, eu nunca sei se a gente que menospreza ou eles que superestimam. Afinal, vc deveria ter a liberdade de usar o nome que quisesse. Embora uma padronização seja sim interessante. Difícil.
      Prevalece sempre o do pai (caso o pai tenha dois, mãe + pai, sempre o do pai de qq jeito), que é o último. Mas, para russos, fica muito, muito estranho…
      Abraços!

  5. Rossina disse:

    Caio!
    Mesmo que case com uma suposta esposa russa seu filho tera nome esquisito. Melhor morar no Brasil mesmo

  6. Aline L. Ramalho disse:

    Olá,

    Nossa esse artigo me ajudou muito. Eu estou escrevendo uma história que se passa na Russia e queria manter real até mesmo na questão dos nomes.
    Apenas uma dúvida me assombra:
    Suponhamos que o pai da família do Clã venha se chamar Ivan, tendo portando o Ivanov como clã. É obrigado o uso de um patrocínio para ele?

    • Oi Aline,
      Obrigado pela visita e comentários. Vamos lá.
      Em primeiro lugar, o correto é patronímico, não patrocínio.
      O patronímico é obrigatório sempre. Logo, Ivan Ivanovich Ivanov não só é possível como é um dos nomes mais comuns da Rússia.
      Zhenya (se lê ‘jênia’) é o diminutivo do nome Evgenya (Eugênia, em português, originado do grego, que significa ‘bem nascido’).
      O patronímico NUNCA muda. O que muda é a família, quando da ocasião do casamento.
      Logo, se o pai de Zhenya (Evgenya) era Yuri, e a família Bondarenko, por exemplo, seu nome será Evgenya Yurievna Bondarenko. Caso ela se case com o nosso Ivan, ela se torna Evgenya Yurievna Ivanova.
      Entendeu?
      abraços
      Fab

  7. Aline L. Ramalho disse:

    Outra dúvida, A mulher do Ivan, supanhamos que se chame Zenya.
    Zenya recebeu o patrocínio de seu pai quando nasceu. Depois que ela casou com Ivan ela abandona esse patrocínio, adquire outro ou o mantém?

  8. Aline L. Ramalho disse:

    Nossa muito obrigada, desculpa pelo erro kkk

    Me ajudou muito!!

  9. Aleska disse:

    Olá! adorei essa explicação sobre os nomes russos, mas fiquei curiosa quando vc disse que além dos apelidos citados, esses nomes tradicionais podem ter outros apelidos. Eu recebi esse nome Aleska da minha mãe porque ela leu um romance na adolescência cuja personagem principal se chamava assim. Seria Aleska um possível apelido para Alexandra? Há sites na internet que dão os mais bizarros significados pra ele, e não sei qual é o correto. Se puder me responder por email agradeço!
    Um abraço,
    Aleska.

    • Oi Aleska,
      Obrigado pelos elogios. Sobre seu nome, sinceramente, eu acho que só ouvi Aleska fora da Rússia. Perguntei pruns amigos que também até imaginavam que seria diminutivo de Alexei, Alexandra, algo assim, mas não é muito comum/familiar assim não.
      Se vc googlear, a grafia é corrigida para Alexa (Алеска -> Алекса / Aleska -> Aleksa). Será que não foi o caso? Googleando Aleska, diz que é germânico…

    • Aleska disse:

      É bom, pode ter sido a tradução do livro. Eu li muito pelo google essa versão que diz que é variação germânica de Alícia, mas nunca me convenceu. Obrigada!

  10. Julio disse:

    Boa tarde..
    Você acabou matando minha curiosidade sobre como o nome russo é formado…
    Mas fiquei na duvida!!
    E se a pessoa não tiver familiar?? Ou nunca conheceu um familiar…. como um órfão ou coisa do gênero??Como fica o patronímico e a família??
    O indivíduo simplesmente fica sem??
    Eu fico pensando, se eles dão tanta importância para a origem familiar alguém sem esta descrição no nome dever passar por maus bocados então!!
    Atenciosamente,
    Julio.

  11. [...] Foi o primeiro livro dele que eu li, e o segundo de literatura Russa, o que ajudou um bocado para entender os nomes que mudam constantemente, além dos apelidos, que não são fáceis de compreender a princípio. [...]

  12. Robson disse:

    Gostei.
    Eu já havia percebido nos livros do Dostoiévski, mas não sabia exatamente como funcionava.

  13. Frederico Arzolla disse:

    Boa noite.
    Foi muito boa sua explicação. Parabéns.
    Por que em alguns casos o patronímico se transforma em sobrenome?
    Minha avó se chamava Emilia Blascovich. Era italiana. A origem desse sobrenome é russa?
    Agradeço a atenção.
    Att.,

    Frederico

    • Boas,
      Isso pode acontecer fora da Rússia, com migrantes. Muitas vezes, por variadas razões (incluindo aí desde fugas por perseguições políticas até por conta dos nomes impronunciáveis), os eslavos ficam apenas com o patronímico. Aqui no Brasil temos muitos e muitos casos.
      Não necessariamente a Blascovich era russa, mas muito provavelmente era eslava.
      E obrigado pelos parabéns! =)))
      Abraços!

  14. celio ribeiro disse:

    Bom dia ! eu estou com um grave problema sou casado com uma russa de moscow, e estou tentando tirar a dcumentação dela.. e o pessoal do cartorio aonde fizemos nosso casamento se recuzaram a tirar o patronímico do nome dela o que segundo a policia federal é o correto a se fqazer ja que no passaporte dela o patriminio nao e traduzido ja que segundo eles esse nome so e utilizado na russia ! e se nao tirarmos esse nome dela nos documentos brasileiros vamos ter muitos problemas ! alguém pode me dar uma luz ?

    • Boas Celio,
      Nunca ouvi falar de história tão sem pé nem cabeça. O patronímico é parte do nome, pode ou não ser tirado. O único problema que poderia ter é de compreensão por parte de outras pessoas…

  15. Paulo Sebrenski disse:

    Ola amigo quem sabe voçe pode ajudar tenho este sobrenome Sebrenski,queria saber se ele é russo,polones ou ucraniano,pois eu e meus parentes temos muita curiosidade em saber a decendencia para saber se talvez temos alguns parentes nestes lugares.

  16. natalice morais disse:

    SOU PROFESSORA DE HISTÓRIA E ENCANTADA C/A RÚSSIA.
    RECENTEMENTE RELI “CRIME E CASTIGO” E, NOVAMENTE, FIQUEI ENCAFIFADA C/ OS SOBRENOMES E APELIDOS QUE APARECEM NA OBRA.
    AGRADEÇO AS INFORMAÇÕES.

  17. Paulo Trigo disse:

    Muito legal essa aula sobre os nomes, o meu ficaria assim Павел Антонович (Pavel Antonovich – Paulo, filho do Antonio)

  18. Vitor Baroni disse:

    Muito bom o artigo, mas surgiu uma dúvida, eu entendo que todo esse sistema de nomes vale mais para a cultura eslava, mas como eu usaria o meu sobrenome, que no já é patronímico.

  19. Carolina disse:

    No caso de Stálin, o Vissarionovich vem de Besarion, o pai dele? E como ficaria este patronínico para uma mulher? É obrigatório possuir o ‘clã’ no sobrenome? Obrigada. Beijos

  20. Carolina disse:

    Família de sangue, ‘clã’ de sangue como ficaria em russo? Obrigada.

Deixe uma resposta

More in Cultura, Língua Russa (50 of 186 articles)