Agora, turismando por Piter – dicas da ‘Viaje Mais’ + as minhas

Bom, resumindo os trabalhos, continuo o passeio pela Rússia, seguindo o roteiro da revista Viaje Mais, do final de 2010. Depois de um apanhadão de dicas para Moscou, agora vamos juntos com a repórter para São Petersburgo – ou Piter – a capital cultural russa, Veneza do Oriente, Porta para a Europa e de outros mil apelidos afins…

Da capital oficial, Moscou, para a charmosa cidade de Pedro, são 650km, mais ou menos a distância entre Rio e SP. Com o trem bala Sapsan, o trajeto pode levar em torno de 4 horas. Nos trens convencionais, cerca de 8 horas. De avião, são cerca de 50 minutos. Entretanto, chegar a um aeroporto de Moscou, fazer check-in, esperar, voar, chegar em Piter, sair do aeroporto, chegar na cidade, pode levar de 4 a 6 horas. Lembre-se que o trânsito na Rússia é um problema sério. Considere a viagem de trem, por ser uma experiência interessante, até um pouco romântica, por assim dizer.

De avião, o roteiro é Sheremetyevo/Domodedovo (em Moscou), Pulkovo (SPb). Meio sem graça. (Aqui começa um adendo sugerido pela leitora Sandy Silva, a quem agradeço pela atenção!). Se você chegar de avião, não se assuste. É bem fácil chegar ao centro da cidade. O aeroporto fica perto – 15km – e é bem servido de ônibus, táxis (pegue SEMPRE os oficiais, nada de papo com motorista) e vans (marshrutka). Como tudo muda, nesse link oficial, do aeroporto de São Petersburgo, você fica a par dos trajetos a serem feitos http://www.pulkovoairport.ru/eng/transportation/. Planeje-se!

Já de trem, a experiência começa na Leningradskii Vokzal, uma das nove estações de Moscou. Ali, você embarca numa das três categorias existentes: Lux, uma espécie de vagão-leito, com duas camas por cabine; Coupe, que tem quatro camas por compartimento, com uma portinha; e ‘platskart’, que tem seis camas por setor, sem porta, com vista para o corredor. Obvio, esse é o mais desconfortável e barato de todos. Antigamente, havia a categoria ‘sidiachii’, sentados, obviamente. Mas essa acho que não existe mais, embora fosse uma opção ridiculamente barata.

Galera no platskart - repare no espacinho entre as camas

Viajar de trem é uma parte inerente da vida deles. Você conhece gente, faz amigos, leva bronca da ‘provodnisa’, a ‘aeromoça’ invariavelmente rabugenta dos trens, que serve chá, biscoitos, dá a roupa de cama, manda acordar, fechar a janela, calar a boca, parar de roncar… Aliás, se for viajar de trem, iPods e genéricos são indispensáveis. Nego ronca muito. Outra coisa: divida. Se você tem comida ou bebida, coloque para jogo, sobretudo nas classes mais baratas. Conversa é obrigatória, mesmo que seu russo não seja dos mais afiados…

Famosa 'provodnisa'

Bom, feito esse adendo, sobre viagens de trens, vamos a Petersburgo. Lá, você chega na Moskovskii Vokzal, um terminal lindo, neorrenascentista, no meio da Avenida Nevskii. Ah, atenção quando for comprar bilhetes: jamais diga ‘quero ir para a Moskovskii Vokzal’. Tem uma em Tula e uma em Nizhny-Novgorod…

Moskovskii Vokzal

Na revista, nossa viajante diz que as atendentes das estações de Moscou são simpáticas. Pura mentira. Se você não fala russo, peça para alguém escrever para onde você quer ir. Lembre-se: na Rússia pouca gente fala inglês. Você imagina que alguém no Terminal Novo Rio ou no Tietê consiga comprar uma passagem em inglês? Nem eu…

O ritual de embarcar é engraçado. Uma turba de gente se amontoa nas plataformas, parentes, amigos, amores, todo mundo dizendo adeus. Aí vem a mensagem e vupt. Todo mundo evapora e o trem parte. Aliás, como eu vivo dizendo, saiba ao menos ler russo, antes de viajar. Será necessário, caso você precise achar o saguão de embarque de seu bilhete, seu trem e seu lugar. Os ‘Provodniks’ dentro do trem também não vão falar inglês, salvo exceções raríssimas. Então, se prepare.

Bom, a estação Moskovskii, em São Petersburgo, é linda, num ótimo lugar, mas fique esperto. Você desce do trem e vem uma horda de gente te oferecer coisas. Peixe, bibelôs, táxis, apartamentos, quartos, mulheres… Quanto mais cara de estrangeiro você tiver, mais será assediado. Diga ‘Nyet’, feche a cara e se mande. É assim que eles agem e é assim que funciona. Mas você pode tirar fotos tranquilamente, embora deva ficar esperto.

Se você não fala russo, agente um transporte com seu hotel. Se você fala, pode negociar com alguns dos taxistas que ficam por ali uma viagem. Se estiver com pouca bagagem, pode pegar um trem, ônibus, trólebus ou mesmo metrô, para onde quiser ir. A estação de metrô é a ‘Ploschad Vostanya’. Aliás, o metrô em SPb, embora não seja tão vasto quanto o de Moscou, é incrível também, com estações temáticas lindas, como a Dostoyevskaya e a Avtovo, minhas favoritas.

Metro Dostoyevskaya

Metro Avtovo

Bom, vamos ao roteiro. Eu, fortemente, recomendo que você fique mais tempo em Piter do que em Moscou. Há muito mais para ser visto. Três dias não dá para nada, mas se é o que se pode… Reserve meio dia para o Hermitage, meio dia para flanar pela Fortaleza de São Pedro e São Paulo), um dia para as catedrais ao longo da Nevskii e um dia para Peterhof. Em cinco dias, um dia para o Hermitage, um dia para Peterhof, um dia para um passeio pela Nevskii e suas catedrais, um dia para o Museu Nacional Russo, Museu da Vodka, Museu do Cerco a Leningrado e Casa-Museu Dostoyevskii e um dia para Fortaleza de São Pedro e São Paulo. Sete dias, além do de cinco, você inclui o Mariinskyi Ballet, o Cruzador Aurora, Vyborg e um tour noturno pela cidade, caso seja maio-junho, para ver as pontes se abrindo e curtir um pouco das noites brancas. Mas essas são só sugestões. Você pode combinar à vontade…

Museu Hermitazhe

Voltando à revista, a repórter chega e parte logo para o Hermitage. E faz bem. Não se engane, esse é, sim, o maior e melhor museu do mundo. Esqueça Louvre, British, Met, Uffizi, Rijks… O Hermitage é um universo. São três milhões de itens espalhados em seis prédios. Você estará em boa companhia: lá tem Gaugin, Monet, Rodin, Renior, da Vinci, Rembrant, Michelangelo, Rubens, Kandinskii e muita gente boa, além duma coleção de Fabergés que vai te deixar de queixo caído.

PicassoMonetDa Vinci

Logo na entrada, a escadaria de Jordão já vai te chocar. Se tiver pouco tempo, passeie e deixe para curtir o espetacular terceiro andar, para as obras do séc. 19 e início do 20, com a nata da produção da Europa… Uma dica: estudante entra de graça. Curta um dia, compre um guia, perca-se pelas galerias luxuosas, vá com calma. Aprecie. É uma visita para uma vida inteira…

Coluna de Alexander

Do Hermitage você tem uma vista privilegiada para a Alexandrovskaya Kolona, Coluna de Alexander, erguida para celebrar a vitória sobre Napoleão, em 1812. É a imagem mais famosa de São Petersburgo, e você vai reconhecê-la de inúmeros filmes. De lá, você anda um pouco, atravessa o Neva (se fala Nivá) e curte um pouco da Fortaleza de São Pedro e São Paulo. Ali, presos políticos tiravam ‘férias’ até 1917. Gente como Dostoyevsky, Gorky e Trotsky, por exemplo. Caminhe por suas passarelas, mas não se assuste se, por volta do meio-dia, ouvir um tiro de canhão: é o Naryshkin…

Mas duas coisas espetaculares da Fortaleza são, sua catedral, barroca e com todos os czares pós-Pedro, O Grande, ali enterrados. Se possível, volte para tentar ver o pôr-do-sol por ali. E, caso esteja um pouco frio, você também vai ver muitos russos pegando sol encostados nas paredes da Fortaleza. O lugar é uma espécie de praia pra eles…

Fortaleza de S. Pedro e S. Paulo - a praia

Bom, como falei demais hoje, continuo amanhã. Sem falta!

email
Related Posts with Thumbnails
http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/stumbleupon_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/delicious_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/technorati_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/google_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/myspace_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/facebook_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/yahoobuzz_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/twitter_48.png


18 respostas para “Agora, turismando por Piter – dicas da ‘Viaje Mais’ + as minhas”

  1. Bremm disse:

    Fabrício, lendo teu texto lembrei de uma coisa curiosa (meio cultura inútil, admito). A palavra “vokzal” é, segundo um texto que li, uma adapatação russa da palavra “Vauxhall”.

    Русское слово «вокзал» происходит от английского собственного имени Воксхолл (Vauxhall). В Лондоне есть железнодорожная станция Воксхолл, и даже бытует анекдот, что именно эту станцию показали русским инженерам, когда те приехали в Англию учиться строить железные дороги. Туповатые русские решили, что воксхоллом называется любая железнодорожная станция, поэтому у них теперь в каждой дыре имеется вокзал.

    A dica que recebi há tempos de como comprar um bilhete (de trem) para Moscou era mais ou menos assim: «Хочу купить билет на Москву».

    • fabyuri disse:

      boas bremm,
      é isso mesmo, Вокзал vem do inglês vauxhall. tanto que em outras línguas eslavas, as palavras não são nem próximas disso. agora, se a história é real ou não, só a etimologia diria… 😀
      agora, se for tentar comprar bilhete em russo, decorar isso aí não ajuda, né? vai que a tia pergunta a hora, o dia, o tipo do vagão, se vc vai sozinho, se é ida e volta… 😮

  2. Camis disse:

    Fabrício
    Estou indo à Russia em Maio e e vou fazer o trecho Moscou-Piter de trem.
    Gostaria de uma ajuda se não for abusar muito…
    Quanto custa a terceira classe comprando em Moscou mesmo, e se 2 dias de antecedência na compra é o suficiente?

    • fabyuri disse:

      Boas Camila,
      Eu talvez vá em maio também, mas não sei se vou a Petersburgo. Os preços variam muito e acho que só vendem com 60 dias de antecedência. Quanto aos preços, preciso perguntar pro povo que lá está. Não tenho a menor ideia e esses sites globais costumam meter a mão…
      Agora, 2 dias de antecedência, em maio, é um pouco arriscado…

    • fabyuri disse:

      Camila,
      Achei um bilhete de 2008, em maio, no trem rápido (não o trem-bala). Custou 750 rublos. Uns 20 e poucos dolares. Certamente, aumentou alguma coisa…

  3. Bremm disse:

    Ae Fab,

    Realmente a coisa é mais complicada, pos aí tem que rolar «какое число, какое место» e outras coisas que são demais para a minha pobre cabecinha. 😀

    Etimologia é uma coisa que eu acho bárbara e, esses dias numa aula de francês, expliquei para as minhas colegas (só eu de homem na classe…) de onde vinha a palavra ônibus. Curiosamente possui uma similaridade com a história que li sobre «вокзал».

    До скорого, молодой!

  4. […] o delicioso e fácil de pronunciar nome: ‘Petropavlskaya Krepost’. Aí você volta ao post anterior e curte um pouco das […]

  5. Sandy Silva disse:

    Fabyuri,

    Muito bom o post, pena que posso ficar apenas três dias e meio. Que vontade de ficar mais!

    Abraços

    • fabyuri disse:

      oi sandy,
      ah, olhe pelo lado bom: que bom que vc vai ficar 3 dias e meio! dá pra fazer um bocado de coisa. o difícil vai ser escolher. pra fazer esses posts sobre petersburgo, foi um sufoco. a cada instante, revendo as anotações, as fotos, ia lembrando dum segredo, dum caminho, dum endereço… tem tanta coisa pra ver/fazer! mas é bom poder escolher né?
      ah, e hoje eu devo postar sobre peterhof, um lugar absolutamente lindo!
      qq coisa, estamos aí. é só escrever!
      fab

  6. cristiane disse:

    oi Fabyuri,
    Vc conhece alguem que posso contratar como guia na russia? Que fale espanhol ou portugues?
    Estou indo em agosto e ficarei dois dias em s. petesburgo!?
    Obrigada…

    • fabyuri disse:

      Oi Cristiane,
      Puxa, infelizmente, não conheço… Pelo número de pedidos por email e comments aqui perguntando, acho que já deveria conhecer né? Difícil é achar alguém de confiança pra recomendar…
      De qq forma, valeu pela visita e pelo comentário!

  7. Mayra disse:

    Qual a melhor região para se hospedar em St Petersburg? Estou indo pra lá com uma amiga, não falamos anda de russo. Tem algumas dicas para nós? Além dessas ótimas, claro!
    Obrigada!!
    E, por favor, não me assuste falando que ‘quem não fala russo vai ser dificil…’ rsrs

    • fabyuri disse:

      Oi Mayra,
      Sem dúvida, para turistas, é melhor ficar o mais próximo possível da Nevskii Prospekt (avenida principal onde tudo acontece) e o mais próximo possível do rio Neva. Siga essa equação: perto da Nevskii e perto do rio Neva. Uma boa avenida para se ficar – obedecendo a essa equação – é a Bolshaya Morskaya.
      Meu cunhado acabou de mochilar por lá e ficou no Friends Hostel, que fica num ponto ótimo. Dá uma pesquisada aqui: http://eng.friendsplace.ru/contacts-and-location
      E vc pode ler os relatos de viagem dele no blog dele, aqui, http://alexp.travellerspoint.com/
      E não vou assustar vcs. Acho que nem precisa, né?
      Obrigado pela visita e pelo comentário!

  8. Петйа disse:

    Привет, gostei desse blog, gostaria de saber o que pode ser feito para se adquirir cidadania russa e morar lá… 🙂

  9. Frederico disse:

    Estou indo em marco, fico 4 dias em St Pitersburgo e 3 em Moscow, ja anotei todas suas dicas!!
    Queria sua opniao/sugestao, estou com esta duvida cruel: de St Pitersbrugo pra Moscow, vou de trem ou aviao?
    Estou indo so, e tenho receio de ir de trem, questao de seguranca. Mas todos falam deste trajeto de trem, q e imperdivel!!!
    Me aconselhe!!! rsss

  10. Rita Mello disse:

    Oi não falo nem leio nada em russo mas tenho muita vontade de conhecer por isso pensei em ir com agência de turismo, você recomenda ou e inviável se virar lá sozinha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o post anterior:
Rússia sem fronteiras: use seu olhar crítico

Longe de mim discutir com Silio Boccanera e Jorge Pontual, que têm zilhões de horas de voo em coberturas históricas...

Fechar