Brasileiro admite jogar pela seleção russa

1
15
views

O brasileiríssimo Welliton, ex-Goiás que brilha muito no Spartak de Moscou, pode entrar para a história como o 1º brasileiro na seleção russa. A ‘cavadinha’ foi dada em uma entrevista muito legal ao jornal ‘Sovsport’ de ontem. ‘Não tenho intenção de me naturalizar russo. Mas se me convidassem, eu tiraria o passaporte para jogar pela seleção russa’, disse, sem cerimônia.

No papo com a pentacampeã mundial e medalha de ouro em Pequim no nado sincronizado, Anna Nasekina – que agora dá expediente no jornal esportivo -, ficamos sabendo um pouco da rotina da ‘máfia brasileira’ do ‘clube do povo’, como é conhecido o Spartak Moscou. Aliás, a ex-atleta dá um show de como fazer uma entrevista. No café da manhã, Carioca, Alex e Ibson chegam junto com Welliton e devoram o café da manhã, que é liberado. E assustam o ‘chef’: ‘Eles tomam o suco de abacaxi e depois atacam. Misturam tudo! Kasha, carne, mingau…’

A entrevista revelou que o ídolo de Welliton é Ronaldo Fenômeno. ‘Ele passou por tanta coisa e superou tudo. É um vencedor. Eu espelho minha carreira na dele desde o início’, declara o atual artilheiro da Premiê League da Rússia, com 15 gols em 22 jogos. E, lógico, revela qual foi sua maior dificuldade na Rússia: ‘O clima. No início foi difícil. Mas depois foi esquentando. Tanto o país, quanto o time. Fui virando titular e a torcida me aceitou. Hoje, estou adorando’.

Sobre a seleção, Welliton revela sua mágoa: ‘Jogo no pequeno Goiás e no meu país existem muitos jogadores de futebol. Mas os treinadores seguiam a política do clube, ou seja, não colocavam os jovens no lugar dos veteranos. Eu tinha 17 anos e nunca jogava, ninguém me via’, diz, explicando que por isso aceitou a proposta de jogar por um clube grande, mesmo sendo da Rússia.

A única coisa não-legal da entrevista, como sempre, é a reação dos leitores. Nos comentários, manifestações, digamos, não muito receptivas ao brasileiro que pretende vestir a camisa cor-de-tijolo do país gigante. Basta lembrar que, após sua chegada a Moscou, o ex-Goiás foi alvo de protestos racistas da torcida, coisa que, infelizmente, acontece por toda a Europa. Entretanto, nada como o tempo. Mais de 30 gols depois, o ‘macaco’ hoje tem seu nome gritado nas arquibancadas e virou heroi no ‘vermelho-e-branco’ da capital russa.

1 COMENTÁRIO

  1. a partir de 1830 o cafe tornou-se o pricipal protudo de exportacao.antes disso qual era o protudo mais exportado???????????????????????????? alguem sabe me fala?????????

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here