Chernobyl na mídia

Ah, e a materinha sobre a Elena Filatova saiu no G1 e no Globon. Muito legal. Falar com ela me deixou muito empolgado, já que Chernobyl é uma das minhas frustrações. Em 2002, tentei ir para lá, mas a Ucrânia negou meu visto. E a Bielorrússia também. Mas, pensando bem, hoje vejo que, naquele esquema mambembe da época, os riscos eram muito mais altos do que o esquema profissional de hoje. Talvez tenha sido um típico caso do “escrito certo por linhas tortas”.

Sem contar que a Elena é uma grande contadora de histórias. Como disse um amigo, ela tem frases fortes. E ela não demora muito pra dizê-las. É rápida no gatilho. A questão de ser fake ou não, realmente, é secundária. O fato é que ela realmente trouxe Chernobyl para a internet e fez uma geração inteira redescobrir a tragédia. Se ela foi de moto ou numa escuna de chumbo, realmente, não interessa. Clica nas miniaturas pra conferir.


Materia no Globon                     
Materia G1

email
Related Posts with Thumbnails
http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/stumbleupon_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/delicious_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/technorati_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/google_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/myspace_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/facebook_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/yahoobuzz_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/twitter_48.png


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o post anterior:
‘A pior coisa de Chernobyl é que ela não deixa esperança’, diz ucraniana que roda pelas ‘zonas mortas’

Vinte e três anos atrás, uma pequena cidade no norte da Ucrânia estava escrevendo uma das páginas mais negras da...

Fechar