Indo para a Ucrânia: o que fazer e o que não fazer

O Anderson é um desses caras legais que conheci via blog. Fanático pela Ucrânia, decidiu ir no último inverno para Ternopil. Aí, seguindo uma sugestão minha, para conhecer o país no verão, voltou para lá agora no verão. Resultado: conheceu dois países completamente diferentes, viveu emoções bacanas, acumulou experiência e, o mais legal, foi generoso o bastante para escrever suas impressões e passar algumas dicas de como agir, o que fazer e, sobretudo o que NÃO fazer.

Esta última categoria, aliás, eu já adianto: tome cuidado com o que você fala para os oficiais de alfândega, em qualquer país do mundo. Não minta, mas não seja sincero demais. Ninguém espera isso. O que se quer é a verdade e o procedimento padrão. Eles não são seus amigos, provavelmente estão sendo simpáticos com você para ver se há inconsistências na sua história e, enfim, são os caras que controlam quem o país quer receber. Ou seja, nada de falar que vai ficar na casa da amiga que você conheceu via internet!

Bom, vamos aos relatos do Anderson, versões verão e inverno.

Quando cheguei no aeroporto de Kiev estava fazendo -32 graus. Dá para imaginar o que é isso? Não tem como. É só estando lá mesmo. Desci do avião prevenido com o que havia levado aqui do Brasil. Em um primeiro momento, enquanto a adrenalina estava alta, foi suficiente para suportar. Conversando com outras pessoas que também estavam visitando a Ucrânia, ainda dentro do onibus após sairmos do avião, todos estavam rindo daquela situação. “Oh my Lord, what’s this?”, alguns ingleses diziam.

Depois de pegar um táxi, esperei por volta de duas horas pelo meu trem. Durante todo esse tempo, eu quase morri! Só estava com o rosto de fora, mas parece que o frio entrava pela respiração e me congelava inteiro, meu nariz e minhas orelhas pareciam não existir mais. Mas, antes disso, me achei o Super-Homem, tirando algumas fotos na rua “curtindo o frio”.

Foram dias maravilhosos na Ucrânia. As pessoas à primeira vista pareciam ser sérios, sistemáticos, mas na maioria das vezes eles acabaram não resistindo e perguntavam de onde eu era. Quando dizia que era do Brasil a resposta era um amplo “Ahhhh, Brasil!!! Ai vinha assunto de futebol, carnaval, calor e tal…. Diziam que era corajoso estar lá com um frio terrivel daqueles. Teve um cara que até me convidou para jogar uma partida de futebol quando eu voltar lá no verão, e disse que eu falava melhor ucraniano que o primeiro ministro…

Recebi naquele lugar uma hospitalidade fantástica! Todos tinham muita preocupaçao em fazer me sentir confortavel e BEM MUITO BEM alimentado! Foi estranho claro chegar de manhã e ter pato no café da manhã me esperado. Mas comi o famoso vareneky, o borsch e um tipo de suco de concetrado de frutas muito interessante (sem alcool).

As mulheres são muito bonitas e os homens são bem parecidos entre si, altos na maioria. Fiquei, claro, admirado com o respeito com os pedestres. Havia momentos em que eu, parado na calçada, via os motoristas pararem para a gente atravessar. Questão cultural claro. Os bancos sem detector de metais, sem segurança, achei muito atipica essa situação…

Quando estavamos chegando em kiev alguns começaram cantar “ще не вмерла Україна” e eles conversaram e deram risadas o vôo todo.

(…)

Segui sua sugestão e novamente fui para Ucrânia. Estive lá por 10 dias enfrentando calor de 33 graus dessa vez. Realmente é impressionante como tudo se transforma. Tudo muito verde, vivo e florido no caso da cidade que fiquei novamente – Ternopil. Visitei a Holanda e Alemanha antes. Conheci as respectivas capitais de cada país. A minha impressão foi de que eram outro mundo, outro nivel de mentalidade e estilo de vida. Mas talvez eu seja muito ingênuo e simples. Mas não me senti feliz nesses lugares, foi uma sensação estranha. A Ucrânia, de certa forma, ouso afirmar que se parece com o Brasil em alguns pontos, por isso me senti mais em “casa”.

Na minha primeira visita levei uma montanha de papéis comigo e, claro, a carta convite registrada na Ucrânia, tudo certinho. Cheguei por Kiev, mas sequer perguntaram o que eu ia fazer lá. Fui novamente cheio de confiança e não levei nada comigo (a validade da minha carta convite tinha acabado no último dia 9 de junho). Cheguei por Lviv e, quando fui passar no controle de passaporte, viram que eu já tinha estado na Ucrânia há poucos meses e começam a me interrogar sobre o que eu estava fazendo lá novamente.

Dai você não entende o que eles estão falando… Um pega seu passaporte, passa para o outro e vem o capitão, olha pra mim e pergunta o que eu estou fazendo lá. Enfim, foram longos minutos de angustia e medo, com os caras me fazendo um pressão terrivel de que eu teria que voltar para Varsóvia e não iria poder entrar na Ucrania sem um documento que comprovasse o que realmente fui fazer lá.

Eu disse minha versão para cinco pessoas. Havia ido lá para visitar uma amiga que conheci pela internet, blá blá blá… Disse que ela estava me esperando ali no aeroporto e que eles poderiam falar com ela e confirmar minha versão. Falei também a respeito do acordo de isenção de vistos e o capitão disse que independente do acordo tenho que levar carta convite. Bom não quis refutar. Fiquei quieto desse minuto em diante e na verdade quase chorando, por que eu já tinha passado bons bocados em Varsóvia, estava cansado para caramba e os caras fazendo muita pressão, me questionando quase tudo. Dai ele disse que aquilo era necessario devido ao trafico internacional e tal. Sim eu entendi que ele tinha razao de fazer aquilo, mas foi foda.

Num ultimo instante que estava desesperado ele olhou para mim e disse: “Anderson” igual o lutador Anderson silva né?” Eu pensei “que sacanagem esse cara fazendo piadinha agora”. Me questionou 3 vezes “você está aqui para turismo, certo? Posso confiar?” E nas três vezes respondi: “Estou aqui para visitar minha amiga em Ternopil”, respondi dessa forma.

Poderia talvez ter respondido de outra maneira. Essa garota que fui visitar até então era somente minha amiga de fato. Talvez eu pudesse ter aberto o jogo, sei lá. Porque os caras questionaram muito a respeito de como eu conheci essa garota e tal. Eu só disse a verdade, que ela era minha amiga que conheci através da internet no site “Livemocha” onde eu estava aprendendo Ucraniano.

Enfim ele olhou para mim, entregou meu passaporte e disse: “Anderson, te desejo tudo de bom”. Eu estava num Mix de raiva e vontade de chorar. Mas foi foda… Carta-convite é essencial esse é o meu conselho

Foram 10 dias de paz em Ternopil. Minha próxima viagem para Ucrânia? Não sei. Na próxima é ela que vem me visitar.

email
Related Posts with Thumbnails
http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/stumbleupon_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/delicious_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/technorati_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/google_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/myspace_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/facebook_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/yahoobuzz_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/twitter_48.png


34 respostas para “Indo para a Ucrânia: o que fazer e o que não fazer”

  1. Fabio disse:

    Poxa, estive em Kyiv 15 dias atras e na imigracao soh me perguntaram se estava a turismo! Soh! Achei incrivel. Acho que o Anderson deu azar, como quando eu viajei da Irlanda a Portugal, e em Porto o agente da imigracao resolveu fazer toda a verificacao padrao, mesmo eu tendo visto de residencia. Paciencia.

  2. oi Anderson

    Excelente relato! Estou em Kiev estudando russo esse julho,e estou adorando. Pessoal mais receptivo que em Moscow, e a comida é incrível.

    Sobre o visto, cruzei duas vezes a fronteira e não tive problema nenhum. Mal olharam pra minha cara. Infelizmente, a Ucrania é um pais como qualquer outro: e pessoal sempre fala que os policiais estão atras de dinheiro não só dos turistas. As vezes voce caiu com um desses.

  3. Rafa disse:

    Anderson, estive na Ucrânia em Julho de 2011 quando ainda para turismo necessitava visto, e agora em Julho de 2012(uma semana atrás) quando já não precisava visto, fico feliz que tenha dado tudo certo para você, e compartilho contigo o mesmo entusiasmo com o país, tanto voltei após um ano. Mas, no site do consulado fica claro, que motivo de visita àlguem que você não está registrado em nenhum hotel, é caracterizado como visita de caráter pessoal (particular) e necessita de carta convite. Fiquei também, cheio de receios ao voltar ao país em um prazo curto de 1 ano, por isso, mesmo indo também visitar colegas, fiz questão de ter reservas em hotel para evitar esses questionários. De qualquer maneira, achei muito fidedigno seu relato! 🙂 До побачення

  4. Valeria disse:

    Estive na Ucrânia em dezembro de 2011, e entrei no primeiro dia depois da queda do visto. Fui para Lviv visitar conhecidos e entrei pela fronteira com a Hungria, de carro. Me fizeram algumas perguntas mas não me pediram nenhum documento além do meu passaporte. Inclusive a agente alfandegária brincou dizendo que agora que não havia mais necessidade de visto, iria ao Brasil ver o Carnaval. Mas também ouvi essas “estórias” sobre a polícia e inclusive, uma vez, estava junto quando isso ocorreu com meus conhecidos de lá.

  5. Andressa disse:

    Oi !
    Primeiramente parabéns pela matéria.
    Dia 15 deste mês estarei indo para Ucrânia conhecer A familia do meu namorado. Vou chegar no aeroporto de KIEV e mesmo lendo sobre a isenção de visto, estou com medo deles me barrarem na imigração.
    Que documentos preciso levar para apresentar,caso eles perguntarem ?
    Me desejem sorte e boa sorte a todos que irão passar por essa complicada etapa.

  6. Andressa disse:

    Muito obrigada pela informação. Amanha e o dia da minha viagem. Estou bem nervosa, feliz e confiante. Pode deixar que eu vou contar sim a minha aventura. Que corra tudo bem !

  7. Andressa disse:

    Oi !
    Neste exato momento eu estou na Ucrânia. Que país MARAVILHOSO !!!
    Recomendo a todos conhecer e nao esquecendo de dar uma passada em Lviv e em Bukovel pra esquiar. Tive 2 horas de treino com o instrutor. Depois eu ja estava “voando” na neve. Detalhe : os instrutores falam Inglês.
    Quanto ao visto, passei de boa, o cara apenas conferiu a página da foto , folheou as páginas do passaporte e carimbou. Nem sequer falou um “oi” quando eu cheguei.
    Mas nunca esqueça de ter os documentos pedidos, pois vi turistas sendo interrogados.
    Mas o mais importante é que nós, Brasileiros não precisamos de visto.
    Amanhã será o meu último dia aqui. 🙁 concerteza pretendo voltar.
    Pra todos que virão, uma boa viagem e boa sorte ! E obrigada Fabrício pelo excelente site. Sempre acompanho.

    • Oi Andressa,
      Servimos bem para servir sempre! =)))
      Brincadeiras à parte, que bom que fui útil. Precisando, é só chamar.
      Aliás, reitero meu convite: se quiser contar sua experiência com fotos aqui no blog, a porta está aberta!
      Abraços e boa volta!
      Fab

  8. Andressa disse:

    Seria ótimo !!!

  9. Anderson disse:

    Boa tarde. Meu nome também é Anderson, porém não relacionado ao do blog.
    Voltei da Ucrânia ontem, e confesso que continuo lá em alma. Visitei a cidade de Lviv. Romântica, linda e ainda mais com a minha companhia.
    A mais ou menos um ano, conheci uma pessoa na internet que mora lá, e finalmente no dia 08 de fevereiro, eu a conheci pessoalmente. E voltaria cada minuto dessa trajetória toda se pudesse.
    Linda, o filho também. Sincera, honesta, apesar da distancia e diferença cultural, não mentiu e nem omitiu nada até então.
    Amei Lviv, me apaixonei mais ainda em Lviv. Conto as horas para voltar lá, e ter a mesma sensação e emoção quando as portas do aeroporto se abrem, e ela esta lá do outro lado esperando e chorando por vocé. Temos a mesma tatuagem no pulso. LIVE FOREVER.
    Essa nossa história, será sempre lembrada.
    Voltarei lá. De corpo. Porque minha alma e coração, ficaram junto dela!

    Não importa a distancia. Não importam as diferenças. Ouça seu coração.

  10. Daiane Cristini disse:

    Olá!
    ótimo blog!
    Embarco para Ucrânia (Kiev) dia 7/jun…farei uma visita turística á Chernobyl! Estou realmente ansiosa com toda essa história de visto (precisar ou não), mas pelo que vi realmente não é mais necessário.
    Continuarei acompanhando o excelente blog!
    Abraços!
    Dai.

    • Não é necessário não, Daiane. Se vc for a turismo, pode ficar relaxada.
      Abração e vamos nos falando!

    • Nicolas Peres disse:

      Olá Daiane, tudo bem?

      Estou indo pra Chernobyl ano que vem também.

      Porém ainda não decidi com qual agência eu irei (Lupine, Tour2Chernobyl e etc).

      VocÊ poderia me dar algumas dicas? Em que hotel você ficou, qual o nível dos inglês dos guias e etc.

      Muito obrigado!!

  11. Daiane Cristini disse:

    Alguém tem um modelo de carta-convite para Ucrânia?
    Obrigada!

    Dai.

  12. jose roberto cardoso disse:

    senhores,
    apreciei bastante a matéria. tenho muito interesse em conhecer os países da ex-cortina de ferro. em especial a ucrania. porém, tenho muito receio das intervencóes da policia local e outros que ouço falar. prostituição, ladrões, etc… ou seja, parecido com o nosso país. mas, falando russo!
    realmente quero ir acompanhado com alguém experiente, que já tenha estado lá. meu interesse maior é conhecer kiev e odessa. mas, aberto a outras visitas.
    se alguém estiver planejando ida pra lá no proximo verão e topar uma boa companhia, agradeço o contato. grande abraço
    jose roberto

    • Nicolas disse:

      Olá Roberto, tudo bem?

      Estou indo para Kiev em Maio do ano que vem, e sozinho por enquanto!

    • everthon disse:

      Jose roberto cardoso, morei na europa por um tempo e gosto muito dos paises do leste que fez parte da união sovietica, eu ja estive na Russia e na Belarus(antiga bielorussia) e agora estou planejando ir na ucrania se voce quiser podemos conbinar e ir juntos,o que voce acha? aguardo sua resposta

  13. Nelson Luz disse:

    Conheci uma Ucraniana via internet, já nos correspondemos a mais de 3 anos, quero saber se ela vir para o Brasil, qual documento que ela precisa, e se precisa de carta convite. quantas horas é de viagem de Kiev até São Paulo obrigado se puderem me informar

  14. Aldo disse:

    Amigos,

    Estou indo para Jitomir em maio. Mas graças as copa (maldita copa) as passagens não saem por menos de 3800 reais.
    Algum de vocês conseguiu fazer uma rota aerea mais economica? Tipo ir para algum pais proximo e pegar outro voo?

  15. Ivan torres disse:

    E
    stou cada dia mais apaixonado pela Ucrânia só em lé relatos como esses
    Quero conhecer Ucrânia ainda esse ano

  16. Dinho disse:

    Eu quero saber como é na ucrania.

  17. paulo maia disse:

    fala serio o que fazer com gente que mata gente inocente::???

  18. Lorena disse:

    Gente, é uma Pena que agora complicou pra ir pra Criméia, pra mim bota Copacabana no chinelo! Meu pedido de casamento foi num pedalinho no meio do mar negro (em cimeiz), tem coisa mais romântica? Meu marido é de Kherson, e já estive na Ucrânia duas vezes. Na próxima vamos com nossa filha, acredito que em dezembro. Dica pra quem vai no verão é Odessa e se puderem, o mar de azov também é ótimo. Como vou no inverno quero visitar Lviv e realizar um sonho: andar de snowboard!

  19. Lorena disse:

    Faltou dizer o que Não fazer!! Hehehe, que cabeça a minha!
    1) O pessoal de imigração realmente é um porre. Eu também tive azar quando fui na 1ª vez, fizeram um círculo ao meu redor e ficaram me perguntando como eu conheci meu “amigo” que eu estava indo visitar. Fui em 2012 e já não precisava de visto, mas chegando lá me pediram um tal de voucher que dizia que eu iria ficar em hotel e tals, que é lógico eu não tinha (não tem lugar nenhum falando disso no site da embaixada aqui). Nada que alguns grivnas não resolvessem, mas quase que me mandam de volta pra Istanbul (meu vôo foi São Paulo-Istanbul-Odessa). Importante é responder sucintamente o que te perguntam e só, nada de floreios que podem te complicar ou que dêem a entender que você tem bastante grana a oferecer. Diga a verdade mas não seja sincero demais, ninguém ali é seu amigo.
    2) Cuidado também se for dirigir por la! A polícia rodoviária é a mais temida, podem te prender/levar seu carro por besteiras, então cuidado com as barbeiragens!!! Lembro-me quando estive em Kiev pra fazer a papelada do casamento não tinha lugar pra estacionar enquanto esperávamos algumas horas por um selo no ministério das relações exteriores (e nosso hotel era do outro lado da cidade). Conclusão: meu marido estacionou o carro num local proibido ali pelo centro. Uma das rondas dos DAI (policia rodoviária) viu e o guarda bateu no vidro pra tirar satisfação. Meu marido rebolou, falou que não era da cidade, que eu tava grávida, que tava frio, pediu milhões de desculpas e no fim deu graças a Deus pois depois de tanta desculpa o guarda não multou ele (ou fez coisa pior). Mas tivemos que sair do local na mesma hora.
    3) Cuidado quando for beber vodca. Brazuca ta acostumado a tomar absolut em balada de gut-gut e acha que vai ser o superman na Ucrânia. Meu marido me deu uma vodca “light” pra experimentar e com duas doses eu ja tava alegre, depois eu não conseguia nem sentir o cheiro mais. Eles são seres que não possuem fígado, então não tente ser um superman. Todavia eu recomendo muiiiiito os conhaques (jatone e jegermeister, amoooo) e vinhos! São maravilhosos além de baratos.
    4) Pelo amor de Deus, cuidado com a “pegação”!! De maneira geral: ninguém entende porque o brasileiro precisa tocar em todo mundo pra se expressar. Nem invente de querer dar beijo na bochecha da namorada/esposa de um amigo ucraniano! Se você quiser ficar com uma ucraniana: ela não vai ser tão aberta quanto as brasileiras nas baladas. Regra geral se estiver acompanhado lá: maneire nas demonstrações públicas de afeto. Beijos muito longos e estilo “desentupidor de pia” deixe pras baladas no Brasil. Mas é óbvio que você pode dar um beijo rápido na amada e andar de mãos dadas, nada mais romântico!
    5) cuidado com piadas sobre homossexuais: enquanto que aqui homem adorrrrrra falar em “corno, gay, partes vaginais”, eles quase não falam sobre isso. Meu marido acha RIDÍCULO tal conversa de outros homens brasileiros, mas tem que trabalhar com eles então atura. É MUITO ofensivo ser chamado de gay por la, da porrada. Se for usar tal piada, sempre sobre outras pessoas fora do círculo de conversa.
    6) Tente não se ofender sobre conversas de teor racista. Principalmente em cidades pequenas é mais comum as pessoas nunca verem um negro na rua durante toda a vida. Elas se espantam quando vem e podem fazer comentários maldosos. Não é regra, duvido que tal coisa ocorra em Kiev por exemplo, mas eu já ouvi comentários de familiares do meu marido, não direcionados a mim, mas acho chato de qualquer maneira.
    Gente, acho que falei demais! Não se assustem ou pensem que lá tem muita gente ruim, não, pelo contrário! Eles são muito espirituosos, e adoram fazer com que você se sinta a vontade! A Ucrânia é minha segunda casa! Tudo de bom pra quem for! Abraço!

  20. Isabela Mariotto disse:

    Preciso de uma informação, só comprei as passagens não fiz reserva de nada pois vou visitar meu irmão que mora lá…
    Tenho que fazer alguma reserva? de hotel ou algo do tipo para não dar problema?
    E meu irmão chegou a 3 semanas e esta vendo a casa dele ainda lá.. para morar !!!
    Será que lá vão me questionar sobre as reservas do hotel?
    Tem algum problema viajar só com as passagens? Pois é só isso que tenho….
    É necessário eu comprovar para onde eu vou no caso moradia?????

    grata…

  21. Isabela Mariotto disse:

    Preciso de uma informação, só comprei as passagens não fiz reserva de nada pois vou visitar meu irmão que mora lá…
    Tenho que fazer alguma reserva? de hotel ou algo do tipo para não dar problema?
    E meu irmão chegou a 3 semanas e esta vendo a casa dele ainda lá.. para morar !!!
    Será que lá vão me questionar sobre as reservas do hotel?
    Tem algum problema viajar só com as passagens? Pois é só isso que tenho….
    É necessário eu comprovar para onde eu vou no caso moradia?????

    grata…

  22. ademar disse:

    gostaria de obter contatos com brasileiros na Ucrania, grato

  23. João disse:

    Bom site amigo.

  24. Sandeni disse:

    muito bacana as informação..

    gostaria de contato com pessoas brasileiras que moram na ucrania..

    obrigada

  25. Adelaide disse:

    Olá, dá pra se virar na Ucrânia só falando inglês? Desejo ir a turismo e passar 1 semana. A sinalizacao é bilíngue?desde já agradeço a atenção. ABS Adelaide – Sao Paulo – SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o post anterior:
Bielorrússia: brasileira conta como é morar neste ‘museu vivo’ da URSS – parte 2

A quatro horas de trem a sudoeste de Minsk fica Brest, cidade na fronteira com a Polônia onde foi assinado,...

Fechar