Mais dois métodos de ensino de russo pra conta

Ontem, enfim, fui buscar com a Ana Tereza os livros que tinha encomendado de Moscou. Marcamos num shopping aqui do RJ e aproveitamos para colocar o papo em dia, escutar e contar histórias e se divertir com causos, bizarrices e coisas legais da Rússia e de brasileiros lá.

Bom, voltando aos livros, pedi para ela trazer Gramatika Russkogo Yazyka, da Glazunova, e Russkaya Gazeta k Utrennemu kofe, da Begeneva. Dois métodos bem diferentes de ensino, prática e aprendizado de língua russa. Enquanto o primeiro é direcionado para estudantes de níveis altos e avançados, o primeiro é para básicos e médios.

Escolhi a Glazunova depois que uma outra conhecida, também professora, me recomendou o livro, falando que os exercícios eram ótimos e que a autora é extremamente objetiva em sua didática, coisa rara por lá. Costumeiramente, eles ensinam sem explicar ou então se perdem nas explicações.

  

Glazunova é uma especialista em morfologia de São Petersburgo, onde, habitualmente, estão os professores mais didáticos e ela realmente dá um show. Aborda todos o espectro do ensino da língua, indo das classes de palavras até macetar os verbos de movimento e numerais. Gosto muito das dicas objetivas – os famosos ‘bizús’ – que ela coloca a cada novo tópico. É daquela coisa “caramba, é isso, como não pensei nisso antes?”. Uma coisa que me irrita, porém, é tudo estar acentuado. Acostuma mal o aluno, já que russo, obviamente, não usa acentos. Irrita mesmo.

 

Ah, e antes que os novatos se empolguem, um aviso: não é livro para recrutas. Está mais para oficiais…

Já o segundo livro, Russkaya Gazeta k Utrennemu Kofe, da Begeneva, é mais uma tentativa de metodologia interativa, amarrada com um excelente conteúdo online, mas meio cheia de buracos. Segue a linha do “fala assim, que você vai falar bem”, ou “se eu te explicar, vai te complicar mais do que ajudar”. Lembra aqueles livrinhos dos CCAAs da vida, com textinho, exercício prático, diálogo, complemento e tal.

 

O diferencial está no aspecto cultural. Por ser uma metodologia contemporânea, é dinâmica e traz consigo o cosmopolitismo da língua e da cultura russa. Traz muitos estrangeirismos, exercícios complementares e tal, mas fica faltando algo mais profundo. O site também é bem legal (www.lclass.org), mas acaba soando como uma isca, para o estrangeiro abrir o cofre e pagar um curso em S-Pb…

Enfim, fiquei muito satisfeito com meus dois novos livros. Métodos diferentes, textos novos, didática fresquinha e um bocado de trabalho pela frente, para destrinchar, resolver os exercícios e dominar os tópicos. Depois, quem sabe o que virá!

email
Related Posts with Thumbnails
http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/stumbleupon_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/delicious_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/technorati_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/google_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/myspace_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/facebook_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/yahoobuzz_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/twitter_48.png


Uma resposta para “Mais dois métodos de ensino de russo pra conta”

  1. Sait uzhe davno rabotaet. Priglashayu posmotret’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o post anterior:
O Rio visto pelos olhos de uma russa

No final do ano passado, mas no finzinho mesmo, fui pego de surpresa pela chegada da amiga Alevtina, que já...

Fechar