Nesta segunda, começam os posts sobre a Transiberiana

3
762
views

Demorou, mas enfim terminei de selecionar as fotos, logar os vídeos, escrever o livro e os posts sobre a maior viagem de trem do mundo, a Transiberiana. Foram quase 30 dias pulando de vagão em vagão, cruzando dezenas de cidades e parando em 13 delas, começando em Moscou e terminando em Vladivostok, no extremo oriente.

As dificuldades foram muitas, claro: tempo, fusos, orçamento, distância, cansaço, comida e falta de sono. Mas tudo, é lógico, fazia parte desse enorme sonho – e eu não poderia passar sem. São “perrengues” inevitáveis e que dão um charme a todas as viagens.

Depois de viajar pela parte ocidental, alguns anos atrás, até chegar ao Cáucaso, agora a missão era conhecer essa fascinante nação rumo ao leste. E, terminada a viagem, agora eu posso dizer que conheci a Rússia. Ouvi gente em tudo quanto foi cidade – e de todos os cantos – vi e vivi muita coisa e atestei que, em muitos momentos, parece que o trem vira uma máquina do tempo, programada para parar em 20, 30, 40 anos atrás.

Capoeira em Vladivostok, ‘Ai se eu te pego’ em Irkutsk, o pôr-do-sol no Baikal, o mergulho no lago gelado após a banya de 90 graus na Sibéria, ser barrado no hotel em Khabárovsk, a divisão Europa-Ásia em Yekaterimburgo, perder o trem em Ulan-Ude, a insegurança de Tchitá… A aventura foi longa e inesquecível.

Enfim, espero que ler seja tão divertido para vocês quanto foi para mim viajar, escrever e fotografar essa aventura. Para isso, também estou inaugurando esse layout mais dinâmico, minimalista e que privilegia as fotos. Aliás, para ter um gostinho delas, basta dar uma espiada no meu webstagram ou no Facebook do Falando Russo.

E vamos lá!

3 COMENTÁRIOS

  1. UHU!

    Espero ansiosíssima pela série de posts! Esta viagem é, sem dúvida, o meu sonho de consumo! Enquanto eu não aprendo russo nem tenho grana suficiente para torná-la realidade, vai ser maravilhoso poder acompanhar por aqui! ^^

    Abraços,
    Lidia.

  2. Te acompanhei pelo Instagram e fiquei maravilhado com as fotos. Você foi por conta própria ou fechou com alguma agência de viagens ?
    Não perco por nada essa série de posts.

    • Boas Murilo,
      Obrigado pela força!
      Eu fui por conta própria. Quis tomar parte de todas as etapas do processo. E como eu ia viajar com um orçamento mínimo – na maioria das vezes de 3a classe nos trens e ficar em dorms nos albergues – dificilmente alguma agência iria me ajudar.
      Vamos juntos!
      Abração
      Fab

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.