O lado bom da crise

Tudo na vida tem dois lados. Enquanto a maioria sofre com a crise, o trânsito de Moscou deu uma respirada com a turbulência financeira. Conversando com uns amigos pelo MSN, todos comentaram, em algum momento, que há, sensivelmente, menos carros nas ruas e mais parados nas garagens. Dei uma pesquisada e, de fato, houve uma queda de quase 15% no número de veículos no tráfego diário. Assim, os engarrafamentos começam mais tarde e terminam mais cedo. E duram menos.

As razões são simples: economia de gasolina e menor compra de veículos. Só em 2009, os preços dos carros importados tiveram alta de 22,7%, de acordo com o AutoStat. Para se ter uma idéia da preferência russa por estrangeiros, em 2008, o número de veículos de outros países comprados por lá cresceu 23%, enquanto as vendas de nacionais teve queda de 7,6%. Então, com preços mais altos e menos empregos, a tendência é de que as vendas despenquem, como vem acontecendo. E que os tratores alemães e japoneses fiquem bonitinhos perto de casa.

Ou seja, com os moscovitas comprando menos carros, gastando menos dinheiro com gasolina, muita gente ganhou alguns minutinhos no trajeto casa – trabalho – casa.

email
Related Posts with Thumbnails
http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/stumbleupon_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/delicious_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/technorati_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/google_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/myspace_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/facebook_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/yahoobuzz_48.png http://www.falandorusso.com/wp-content/plugins/sociofluid/images/twitter_48.png


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o post anterior:
Top 5 de músicas da ‘Nashe Radio’ da semana

Em Moscou - e por todas as cidades onde estive - vivia ouvindo a 'Nashe Radio' (Nossa Rádio), que tem...

Fechar