Palestras no RJ e em SP falam sobre Rússia e Geórgia

3
51
views

Nesta semana, teremos duas palestras muito interessantes sobre política na Rússia e no mundo pós-soviético (por mais que, às vezes, eu odeie usar esse termo). A primeira delas acontece amanhã, dia 11 de abril, na USP, com um diplomata russo, e promete abordar as controversas eleições russas, que elegeram Vladimir Pútin como presidente do país pela terceira vez.

A segunda, e não menos importante, acontece na sexta-feira, 13 de abril, na ESPM do RJ, por iniciativa do excelente CEBRI, e conta com a presença ilustríssima de Ekaterine Tkeshelashvili, Vice-Primeira Ministra e Ministra para Reintegração da Geórgia desde Novembro de 2010. Uma das figuras centrais do moderno governo georgiano, Tkeshelashvili é uma das responsáveis pelas grandes reformas, não só políticas, mas de mentalidade, que varreram e mudaram o país desde a Revolução das Rosas, que derrubou o eterno presidente ex-ministro das Relações Exteriores soviético Eduard Schevardnadze.

Uma das mudanças mais polêmicas, promovidas por Tkeshelashvili e que rodou o mundo, à época, foi a demissão de TODO o departamento de polícia de trânsito do país, devido aos altíssimos índices de corrupção. Ela mesmo explicou essa e outras medidas em uma palestra em Princeton, em abril de 2009, que você pode conferir em texto e áudio aqui, e no International Institute for Strategig Studies, em maio de 2011 (disponível aqui).

Aliás, torço para que ambos os organizadores das palestras, tanto o Laboratório de Estudos da Ásia, da USP, quanto o Centro Brasileiro de Relações Internacionais, da ESPM, sigam essa iniciativa da renomada universidade americana. Afinal, são palestras importantes que merecem estar disponíveis para consulta.

E, claro, quem puder ir, são duas chances imperdíveis e eventos importantíssimos. Recomendo fortemente.

Palestra: “Rússia pós-eleição de Putin: como ficará a política externa do país?”

O Laboratório de Estudos da Ásia (Departamento de História) convida para palestra “Rússia pós-eleição de Putin: como ficará a política externa do país?” com o cônsul-geral da Rússia no Brasil, Sr. Mikhail Troyanski, na quarta-feira, dia 11 de abril, às 18h30, no Auditório do Departamento de História. A atividade é gratuita e aberta aos interessados, sem necessidade de inscrição prévia.

QUA | 11.04 | 18h30

Auditório do Departamento de História. Av. Prof. Lineu Prestes, 338, Cidade Universitária, São Paulo

O Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI) tem a satisfação de convidá-lo (a) para a Mesa-Redonda:
Georgia Successful Case of Social Transformation
com
Ekaterine Tkeshelashvili
Vice-Primeira Ministra
Ministra para Reintegração da Geórgia

Ekaterine Tkeshelashvili é Vice-Primeira Ministra e Ministra para Reintegração da Geórgia desde Novembro de 2010. Nascida em 1977, Ekaterine é formada pela Faculdade de Direito Internacional e Relações Internacionais da Tbilisi State University (1999), tendo atuado como advogada no Comitê Internacional da Cruz Vermelha (1998-2001) e no Comitê de Direitos Humanos em Nova Iorque (2001). No Governo, ocupou os cargos de Ministra da Justiça da Geórgia (2007-2008), Ministra das Relações Exteriores (2008) e Secretária do Conselho de Segurança Nacional (2008-2010).

O objetivo da Mesa-Redonda é promover debate acerca das reformas introduzidas na Geórgia, desde a Revolução das Rosas de 2003, que geraram uma série de transformações na estrutura política, econômica e social do país.

Data: 13 de abril de 2012, sexta-feira
Horário: 10h00
Local: ESPM – Auditório do 11º andar – Rua do Rosário, 90 – Centro/ Rio de Janeiro.

3 COMENTÁRIOS

  1. Ótima palestra hoje na USP. Eu já havia conversado com russos na internet sobre a geopolítica de seu país, e a palestra do Sr. Mikhail Troyanski foi muito esclarecedora, ele foi muito claro mesmo não sendo falante nativo do português e soube expôr pontos muito importantes da atual situação política da Rússia.

  2. Claro: o Sr. Mikhail Troyanski falou da importância de se desconstruir a visão esteriotipada da Rússia e se olhar para o que acontece dentro do país. Comentou de como a queda da URSS não foi algo apreciado pelo povo(de acordo com ele, um referendo descobriu que 76% eram a favor da continuação da existência do estado soviètico) e do caos que a Rússia vivenciou nos anos 90, pois a admnistração institucionou o sistema multipartidário e capitalista sem antes projetar a estrutura(na Rússia, chamam isso de “conseguir a carroça antes do cavalo”).

    Depois disse de como Vladimir Putin conseguiu consertar a bagunça e, mesmo não necessariamente sendo o ideal, o fato de os russos conseguirem novamente viver com uma qualidade de vida decente o tornou popular, e isso explica sua reeleição. Na opinião do cônsul, esse será provavelmente o último termo de Putin na presidência, baseado na diminuição da presença do partido Rússia Unida na Duma. Esse ponto foi colocado para contrariar a visão propagada pela mídia de que as eleições possivelmente foram manipuladas.

    Fizemos perguntas a ele sobre vários outros tópicos, ele nos respondeu sobre as perdas territoriais da Rússia no colapso da URSS, sobre os problemas da diáspora russa espalhada pelas repúblicas ex-soviéticas(principalmente nos países bálticos), sobre a guerra da Geórgia analisando a história da relação com a Abecásia e a Ossétia e sobre a importância de se superar a URSS e prezar a soberania das nações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here