Privet

0
42
views

Imagine uma viagem. Imagine A viagem. Imagine que tem um lugar que, por
algum motivo, você sempre quis conhecer. Agora, imagine que você não só
foi a este lugar, mas morou tempo suficiente para perceber que neste
lugar você se sente em casa.

Foi exatamente esse meu processo
com a Rússia. Durante algum tempo, tive a oportunidade de viajar,
conhecer, morar, estudar, experimentar não só um país, mas uma cultura
poderosa e orgulhosa de sua grandeza. E, melhor ainda, sendo
brasileiro, pude chegar com meus olhos e experimentar tudo. Já cheguei
falando uma língua rica, musical e complexa. Que me deu muita história
para contar e tirou muitas de minhas noites de sono.

Um período
de muitas viagens, muitos amigos e muito conhecimento – se é que
conhecimento pode ser muito, de alguma forma. A cada oportunidade que
tenho de voltar, percebo novas coisas, ouço novos sons e vivo novas
experiências.

E algumas dessas experiências – as que vivi lá e
as que vivo lá a partir de cá – que vou relatando aqui. Vida, música,
cinema, pintura, curiosidades, língua, causos… Tudo é história. E
tudo segue vivo na memória, nos risos e no valor que dou à dureza que
foi atravessar o mundo numa busca muitas vezes inexplicável.

O metrô está passando.

Ostarozhno, dveri zakryvautsa!

Artigo anteriorAgentes secretos
Próximo artigoDo baú: estreando no Cáucaso, em 2002 (pt.2)
Mestrando em Russo pela USP, formado em jornalismo pela UFF, Letras português - russo pela UFRJ e quase-formado em Cinema, ainda pela UFF, com pós-graduação em Moscou, pela MGU. Morei em Moscou e conheço bem muitas outras cidades russas e do Leste Europeu. Sou um profundo interessado no Cáucaso, onde também estive em várias cidades algumas vezes.
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here