Tem brasileira cantando na terra da vodka

4
85
views

Topei com a notícia de que tinha uma cantora brasileira que estava aparecendo bem na Rússia faz pouco tempo. Uma amiga comentou comigo e não tive como ignorar. A mulher já tinha cantado pros figurões do Kremlin, recebido Lula, estava gravando com Chris Powell – produtor que já trabalhara com Rihanna e Beyoncé – e anda aparecendo em todas as revistas Rússia afora. Certamente, vai ser bem legal e curioso se uma carioca neta de baianos realmente arrebatar a Rússia, os EUA e o Brasil, como ela planeja.

Para ler a matéria no G1, clique aqui.

Brasileira que já cantou para Medvedev e Lula vira ídolo na Rússia

O jeito de cantar, andar, o olhar e, sobretudo, a morenice típica brasileira entregam: ela é brasileira e está virando moda. O inusitado é o sucesso acontecer primeiro na Rússia, Ucrânia e países vizinhos. Gabriela é carioca, neta de baianos e mora há cinco anos em Moscou, onde casou e tem uma filha. Já cantou para dois presidentes – Lula e Dmitri Medvedev – e foi finalista de um dos mais populares concursos musicais por lá, o ‘Novaya Volna’. E isso não é pouco.

‘Eu canto desde os sete anos, passei por várias bandas no Brasil, viajei por outros países e acabei parando aqui, há cinco anos’, conta a cantora. Mas esse ainda não era o fim da história. Seu contrato acabou logo em seguida, o que a obrigou a voltar para o Brasil. Em 2007, Gabriella retornou à Rússia para fazer mais shows, e acabou conhecendo seu futuro marido, um russo. ‘Ficamos naquela, eu indo pra lá, ele vindo pra cá, Brasil, Rússia, mas há dois anos nos casamos, e foi quando eu realmente comecei a trabalhar, com trabalho de divulgação’, explica.

 

Mas a grande virada aconteceu no meio de 2010, quando Gabriella participou no ‘Novaya Volna’, que significa nova onda, um concurso de talentos no estilo ‘American Idol’, que privilegia países russófonos. A brasileira avançou até as finais e, com um estilo bem peculiar, acabou roubando a cena. Conseguiu convites para tocar em praticamente todos os palcos de Moscou e fechou o ano com chave de ouro: um concerto de ano novo com o alto escalão da política russa, incluindo o presidente Dmitri Medvedev.

‘Nesse show, eu fiz um dueto com um grande cantor daqui, o Sergei Mazaev, cantamos uma música da Alcione, ‘Não deixe o samba morrer’, eu fazia uma parte em português e ele, uma parte em russo’, lembra a cantora, que acabou sendo incluída no ranking dos melhores artistas da Rússia de 2010. ‘Sou uma das tops daqui, acredita?’, fala, entre risos.

E, depois do show, Gabriella ainda teve a chance de dançar com Medvedev. ‘Ele disse que gostou muito do jeito que eu cantei’, revela. A performance de reveillon rendeu mais convites para outros shows para os figurões da política russa, no final de 2011.

Como se não bastasse, a brasileira também acabou em um evento para o então presidente Luís Inácio Lula da Silva, que visitou a Rússia em junho do ano passado para celebrar a o acordo que aboliu a exigência de vistos para turistas entre os dois países. ‘Ele ficou conversando comigo um tempão! Perguntou qual era minha cidade, o que eu estava fazendo ali, perguntou tanta coisa… Ele foi muito educado, gentil, foi inesquecível’, diz.

Gabriella só desanima quando perguntada sobre o porquê de não ser conhecida no Brasil. ‘É sempre mais difícil vencer na sua casa, no seu país’, justifica. Mas seus planos são ambiciosos e ela parece estar decidida a conquistar não só a Rússia, como também o Brasil e os Estados Unidos. Com forte apoio da gravadora, ela foi buscar nos EUA Chris Powell, produtor que já trabalhou com Rihanna, Beyoncé, Paula Abdul e outros, para preparar seu próximo single, ‘James Bond’, cujo clipe teve o maior orçamento para um videoclipe da Rússia pós-crise – onde desfilam figurinos caríssimos entre Porsches, Bentleys e Spykers – no melhor estilo hip-hop norte-americano.

Mas, enquanto a carreira parece estar bem encaminhada, com clipe, single, aparições em revistas como Maxim, Billboard, Glamour e afins, Gabriella agora pena para equilibrar as raízes verde-amarelas com a vida na Rússia. Ela ainda precisa de legendas durante as entrevistas em russo e seu português já parece sofrer os efeitos dos anos longe de casa. ‘Vou ter que treinar, voltar a praticar, já que quero muito voltar a trabalhar no Brasil. Estou até esquecendo as palavras’, brinca, sem medo da eventual concorrência de outros artistas brasileiros que possam pousar na Rússia. ‘Espero que apareçam mais, e que mostrem o talento que nós temos para todo o mundo’.

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here